Quero ser um ser anónimo, ser terrivelmente natural, efusivamente desconhecido, quero fazer parte da noite mais escura e criar uma identidade paralela a um sonho irreal. Anseio pelo raio de sol que se desvanece na janela do meu quarto tão rapidamente como um passo firmemente marcado na areia. Sinto a afável brisa do fim da tarde soprar na minha face, uma face sem rosto mas que outrora conheceu a essência de uma profunda e eterna melodia. Uma gota de água cai sobre o meu ombro, ao de leve oiço um pássaro cantar, por breves instantes saboreio o toque e o gosto de uma cereja nos lábios, porque apesar de um rosto em branco, ainda por descobrir, o poder de uma sensação ainda me circunda, espanta e constrói.

6 sonhos ;D:

Filipa disse...

Quando somos desconhecidos podemos explorar mais, sem nada a perder.
Beijinhos, grande texto.

'Drii disse...

Minha Di está tão profundo este texto :)

Adoro.te «3

M. disse...

que textão, está lindo *.*
- beijinhos

WithoutIdeasForTheName disse...

que texto *.*

'Drii disse...

Tens um desafio no meu blog ;)

Adoro.te «3

secret_words disse...

adoro Dii *.*

Enviar um comentário